Let's travel?

Let's travel?
Entre sem bater.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

A pessoa certa na hora errada

Ele nem me conhecia. E eu nem conhecia ele. Ao acaso, um dia, um momento... Um encontro. Sabe quando você não espera nada, não cria nenhum tipo de expectativa? Eu estava assim. Havia sido um dia corrido e talvez o encontro nem fosse acontecer... Mas aconteceu. Nem com frio na barriga eu estava, e foi assim que eu cheguei lá. Ele atravessa a rua e entra no meu carro... (ai, ele é mais bonito do que eu imaginei. E mais cheiroso, também)... A conversa foi natural e instantânea. Em 10 minutos de percurso ele já conversou mais comigo do que havia sido em um ano de namoro com aquele cara por quem eu tanto sofri. - Onde vamos? - Onde você quiser (opa, já gostei, em outras palavras ele disse que o importante era estar comigo, independente do lugar. Aprende aí) . - Vou parar aqui, mas está meio longe do bar, tudo bem? - Claro, sem problemas (ai, caramba, que sorriso é esse!) - Mas está chovendo... - Por mim, tudo bem (cara, qual seu defeito?).
E lá fui eu abrir a porta pra descer, quando ele me puxa pelo braço de um jeito meio cena de filme, e me deu um beijo - e que beijo. Era um beijo quente, doce, não sei explicar. Foi bom. Foi muito bom. E então descemos do carro (caramba! ele é muito alto) eu toda atrapalhada, pra variar... Cheia de coisas nas mãos e nos bolsos, derrubo tudo no chão... - Você quer que eu leve suas coisas pra você? (Não, não seja tão cavalheiro, por favor, não posso me apaixonar!). Quando começamos a andar, ele simplesmente me abraça e vamos andando abraçados como um casal apaixonado. Em uma rua cheia de gente conhecida... E se encontrarmos alguém? Não deu outra, demos de cara com quatro amigos dele. E ele? Ele naturalmente acenou e continuou andando de mãos dadas comigo. Ele deixou eu escolher o bar, entramos e, juro... Fazia tempo que eu não passava momentos tão bons. Ele nem me conhecia, mas me deu todo o carinho que eu não recebi em um ano. Pra começar que sentamos grudados (não, ele não fez questão de sentar do outro lado da mesa). Ele me dava beijinhos e carinho o tempo todo (para, para de ser tão perfeito, por favor!) ficamos ali, abraçados, como se o tempo estivesse pausado. Uma conversa tão gostosa, uma troca de experiências, de conhecimentos, finalmente uma pessoa do mesmo nível intelectual que eu (tá bom, eu confesso, o nível intelectual dele é mais alto que o meu). Fazia tanto tempo que eu não me sentia assim... Olhar pra pessoa e perceber que ela queria estar exatamente ali onde estava, e não me deixar ter dúvidas em relação a isso, como tive em um ano. E mais, olhar pra mim mesma e ter certeza de que eu não gostaria de estar em nenhum outro lugar, com nenhum outro alguém. Em um ano acho que nunca me senti assim. Nessa noite eu tive certeza de que vivi um ano de uma ilusão, uma grande ilusão.O meu desejo era que aquela noite não terminasse nunca mais.  Só que a noite terminou, a realidade voltou... E eu e ele sabemos que a hora é totalmente errada. Ele nem me conhecia, mas em algumas horas me fez tão feliz. Ele nem me conhecia, mas em algumas horas fez eu perceber o quanto eu posso, e mereço, ser respeitada e valorizada. Me fez ver o quanto eu mereço alguém que saiba conversar comigo, alguém que de uma forma totalmente natural faça que o momento seja maravilhoso, alguém que sinta prazer em estar ao meu lado, que me abrace e esqueça do mundo lá fora,  que me dê muito carinho e beijos infinitos. Eu mereço alguém inteiro, e não migalhas de um amor doentio. Ele nem me conhecia, mas talvez seja ele. Ele, com seu 1,85 de altura, seus 28 anos, um rosto tão lindo, sorriso perfeito, formado em uma faculdade que eu me interesso e vivendo a profissão do meu sonho, me causando tanta admiração. Talvez seja ele a pessoa certa. Pena que na hora errada.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Quase, só quase

"Ele tentou usar uma roupa parecida... Tentou o mesmo corte de cabelo, tentou... vou te contar aonde ele errou: ele errou, quando o beijo não me arrepiou. Quando o abraço dele não encaixou. O erro dele é não ser você! Ele quase ficou entre você e eu, mas eu disse quase, só quase, entendeu? E pra te explicar a distância do quase, é tipo ida e volta daqui até Marte... Se Deus fez outro de você, tá decorando a casa dele, e ele não vai deixar descer, é um meu, e outro dele..."

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Foi por você

"Você nem quis ouvir o que eu sentia. Você não entendeu que o que eu queria era te levar daqui, pra nunca mais ouvir dizer que eu não servia pra te fazer feliz... Nunca mais se esqueça que eu ainda estou aqui, não tem por que fugir. Quero que saiba que nada foi em vão, foi tudo por você! Tudo, tudo que eu fiz... foi por você."

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

"Tratando a dor com amor"

Sabe de uma coisa? Aprendi a ser hospitaleira com a dor. Já que ela veio sem pedir permissão e resolveu se instalar aqui, o jeito é tratá-la bem. Quando ela apareceu, eu tentei segurar a porta por dentro pra que ela não entrasse, empurrei móveis pesados atrás da porta pra tentar impedi-la. Não funcionou, ela entrou com tudo, meteu o pé na porta e, de uma só vez, ela entrou. Aí tentei expulsá-la. Tentei de todos os jeitos colocá-la pra fora daqui. Gritei com ela, esbravejei, me revoltei. Nada adiantou. Puxei-a pelo braço, empurrei-a pelas costas, mas ela era tão mais forte do que eu! Depois te todos os meus esforços em vão, me ocorreu uma ideia estranha. Pensei em tratar a dor com amor. Com carinho. Ouvir tudo aquilo que ela tinha pra me dizer: e quanta coisa ela me disse! E aí eu percebi o quanto a vinda da dor era necessária exatamente no momento em que ela apareceu. E não havia outro modo de eu descobrir tudo o que eu precisava saber, a não ser pela dor. E por que me revoltar, se ela só quer me ensinar, me despertar, me modificar? A zona de conforto é uma delícia pra se caminhar, não tem um único espinho onde se possa pisar, mas é, também, onde nada floresce. Na zona de conforto não há uma única flor. E pra quem quer flores, a dor é uma ótima semente. A dor te faz andar por um caminho inicialmente cheio de espinhos, mas também repleto de flores, logo ali na frente. Já é assim, se são flores que eu quero, por que não tratar a dor com amor?

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Voltar no tempo

"Vou começar com uma pergunta boba: será que dá pra gente voltar no tempo? Ultimamente fico mal à toa, tá sobrando apego, faltando entendimento... Me desculpa se eu não entendi, tá demorando pra ficha cair! Você com esse sorriso sem jeito, foi chegando perto, chegou perto demais... Em três ou quatro dias tava tudo tão perfeito, dos meus problemas, eu já nem me lembrava mais...Só queria você, só pensava em você.
Mas ainda tem coisas pra me arrepender... E eu vou dizer: me arrependi de não ter te abraçado outra vez, não ter te beijado uma última vez, não ter te olhado outra vez, ficar acordado até depois das seis só pra ver o sol nascer, sonhar os sonhos mais loucos com você.
Quem sabe ainda é tempo?
Pode ser a qualquer hora, me chame em pensamento, você sabe, eu vou agora..."

terça-feira, 24 de outubro de 2017

"Será que vai ter o dia de eu ter sua companhia,  e nunca mais ver você ir embora?
Eu não me vejo sem você, só não demora a perceber...
O tempo voa, o dia passa, o amor acaba...
Se não há nada a perder, então vai ter que escolher.
Vem aqui, leva uma parte de mim, me conduz, revira meus planos, vive em meus sonhos." 
Te amo...

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

"Meu vício agora"

"Não vou mais falar de amor, de dor, de coração, de ilusão. Não vou mais falar de sol, de mar, da lua ou da solidão. Meu vício, agora, é a madrugada. Meu vício, agora, é o passar do tempo. Meu vício, agora, é o movimento, é o vento, é voar. Não vou mais verter lágrimas baratas sem nenhum por quê. E, mesmo assim, fica interessante não ser o avesso do que eu era antes. De agora em diante, ficarei assim, desedificante. Meu vício, agora, é o passar do tempo. Meu vício, agora, é o movimento, é o vento, é voar... é voar!"

domingo, 22 de outubro de 2017

"O mundo é um moinho"

"Ainda é cedo, amor... Mal começaste a conhecer a vida, já anuncias a hora de partida, sem saber mesmo o rumo que irás tomar... Preste atenção, embora eu saiba que estás resolvido, em cada esquina cai um pouco a tua vida, em pouco tempo não serás mais o que és. Ouça-me bem, amor, preste atenção, o mundo é um moinho, vai triturar teus sonhos, tão mesquinhos, vai reduzir as ilusões a pó. Preste atenção, de cada amor tu herdarás só o cinismo, quando notares estás à beira do abismo, abismo que cavaste com os teus pés..."

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Revivendo

Revivendo fotos, vídeos, momentos, lembranças, músicas, sentimentos. Revivendo tudo aquilo que insiste em permanecer e que me impede de seguir. Revivendo você 24 horas por dia, revivendo você 60 minutos por hora, 60 segundos por minuto. Revivendo você o tempo inteirinho. E como eu daria tudo pra reviver tudo de novo, mas de forma real. Volta?

terça-feira, 17 de outubro de 2017

7 dias, e a saudade só aumenta...

domingo, 15 de outubro de 2017

De engraçado não tem nada!

Engraçado como uma pessoa com quem você viveu e conviveu por mais de um ano, de repente se torna um estranho.
Engraçado como apesar de tudo, você ainda passa o dia todo do seu aniversário esperando uma mensagem que você já sabia que não viria.
Engraçado como, apesar de tudo, você ainda acredita em um sentimento que nitidamente já não existe mais.
Quero que esse dia de hoje sirva como um divisor de ciclos. Há exatamente um ano eu e ele estávamos na fila do veterinário, às 7 horas da manhã, marcando pra castrar minha gata, depois ficamos o dia inteiro juntos. E hoje, 365 dias depois, somos meros estranhos. Ainda dói, mas vai passar.
Ainda dói, mas serei forte.
E daqui 365 dias eu não vou mais lembrar que um dia estivemos juntos, não vou mais lembrar do quanto eu te amei, não vou mais lembrar desses malditos momentos felizes, que insistem em visitar minha memória 24 horas por dia. Eu vou conseguir seguir, vou conseguir te esquecer. Engraçada essa vida, né?

sábado, 14 de outubro de 2017

Todos os dias

Todos os dias eu estava ali.
Todos os dias eu perguntava se você estava bem.
Todos os dias eu dizia que te amava.
Todos os dias eu esperava um gesto de carinho.
Todos os dias eu me arrumava pra você, esperando um elogio.
Todos os dias eu sonhava com o seu sorriso.
Todos os dias eu dormia e acordava pensando em você.
Todos os dias eu esperava um abraço, um abraço quente, com o seu cheiro.
Um dia, talvez, você resolva me abraçar, e aí não vai mais me sentir.
A mulher da sua vida se foi, você pediu pra ela ir. E ela foi. Eu fui. Você me pediu pra sumir, pra ir embora, pra te deixar seguir seu rumo. E eu deixei.
De verdade, eu espero que você seja feliz. Espero que encontre alguém que te seja suficiente, já que eu não consegui ser. Eu juro que tentei. Estava tentando ser melhor. Mas você não conseguiu esperar, e quanto a isso não houve nada que eu pudesse fazer. Eu tentei até o último segundo, até aquele momento que você implorou pra que eu fosse embora. E eu fui. Espero que quando você perceber o quanto eu te amava e o quanto você ainda me ama, não seja tarde demais.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Será?

Será que um dia eu vou conseguir te esquecer? Será que um dia eu ainda vou conseguir me interessar por outra pessoa? Será que um dia ainda vou conseguir não sentir sua falta a cada segundo do meu dia? Será que algum dia ainda vou olhar pra alguém e não ficar tentando encontrar você em outra pessoa? Será que um dia vou deixar de tentar achar alguém que tenha seu sorriso, suas covinhas, sua voz meio rouca, sua risada encantadora? Será que você ainda pensa em mim? Será que você deixou mesmo de me amar? Será que um dia ainda vou te ver? Será que ainda vou poder beijar sua boca perfeita mais uma vez? Será que um dia ainda vou poder te abraçar? Será que um dia ainda vou ter a chance de poder te amar? Será? Será? Será?